Histórico

Histórico

Localizado na Cidade de Palotina, no Estado do Paraná, o Moinho de Trigo teve lançamento da Pedra Fundamental em 03.12.1989, entrando em operação em 28.11.1992, com a capacidade inicial de industrialização de 200 toneladas/dia de trigo, estocagem de 4.300 toneladas de farinhas e armazenagem de 22.000 toneladas de grãos. Nesta primeira etapa foram investidos em torno de sete milhões de dólares.

Em junho de 1995, iniciou-se o programa “Arrumando a Casa”, implantando assim o Sistema TQC (Controle da Qualidade Total).

A conquista de mercado e o crescimento das vendas motivaram a duplicação da indústria em 1997, aumentando sua capacidade de industrialização para 400 toneladas/dia, estocagem de farinhas para 21.800 toneladas e armazenagem de grãos para 50.000 toneladas, tornando-se o 3º Moinho de Trigo do Paraná em capacidade instalada. Foram investidos nesta ampliação quatro milhões e meio de dólares.


 

Neste mesmo ano implantou-se o programa de “Gerenciamento da Rotina”, com a finalidade de definir, padronizar e monitorar os processos, tendo como base o ciclo PDCA (Planejar/Fazer/ Checar/Agir).

Com o compromisso de melhoria contínua de suas técnicas, em 10.09.1997, o laboratório do Moinho de Trigo da Cotriguaçu foi o primeiro, neste segmento, a ser credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA – para realizar análises de Classificação de Produtos de Origem Vegetal (trigo), bem como, prestar serviços de controle de qualidade de produtos próprios e de terceiros.

Em setembro de 1998, iniciou-se um novo desafio, o processo para Certificação ISO 9002, o qual foi alcançado em agosto de 1999, através do órgão certificador DNV (Det Norske Veritas Ltda), tornando-se assim a primeira cooperativa do Estado do Paraná e uma das primeiras do Brasil a conquistar esta certificação.


 

Preocupada não somente com a qualidade de seus processos, em novembro de 2001, iniciou-se a implantação do sistema APPCC (Análise de Perigo e Pontos Críticos de Controle) versão brasileira do Internacional Hazard Analysis Control Point – HACCP, que visa garantir a segurança de alimentos através da prevenção.

Em fevereiro de 2003 o Moinho de Trigo foi o primeiro do Brasil a receber a Declaração de Implantação do Sistema APPCC do SENAI/PR. Neste mesmo ano, em dezembro, houve atualização da Certificação ISO 9002 para ISO 9001:2000 pelo mesmo órgão certificador.

Não medindo esforços na busca da melhoria contínua, em dezembro 2008 o Moinho de Trigo da Cotriguaçu conquistou a Certificação ISO 22000 – Sistema de Gestão de Segurança de Alimentos.

Estas certificações (ISO 9001 e ISO 22000) colocam a empresa em destaque Nacional no mercado de produção de farinhas de trigo, pois é o primeiro Moinho de Trigo a possuir estas duas Certificações, podendo assim, garantir maior segurança aos seus clientes de que estão adquirindo produtos seguros e de alta qualidade.


 

Desta forma, o Moinho de Trigo da Cotriguaçu, demonstra sua habilidade no controle de perigos em todas as fases da cadeia produtiva, do plantio à industrialização de seus produtos e garante a gestão de todos os processos que influenciam na produção de alimento.

Em sintonia com estas conquistas o Moinho mantém programas como: PGE – Programa de Ginástica na Empresa; Incentivo aos Estudos; Participação dos Resultados; Treinamentos, entre outros, procurando manter um padrão de qualidade de vida na empresa. Trabalha-se também com o Programa MIP Grãos (Manejo Integrado de Pragas), em parceria com a EMBRAPA TRIGO.



O laboratório conta com equipamentos de alta tecnologia e profissionais capacitados, buscando constantes inovações, com a finalidade não só de atender as exigências da legislação vigente, mas também, de forma precisa e eficaz, as especificações de seus clientes. Diante disso, está em busca da ampliação do escopo de acreditação junto ao MAPA para Classificação de Farinha de Trigo em atendimento a Instrução Normativa nº 8, de 02.06.2005 e da norma NBR ISO/IEC 17025:2005.

A comercialização é feita em embalagens de 1kg, 5kg, 25kg e 50 kg e também em embalagens de 1.250 kg (Big Bag). Além do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Goiás, são os principais estados consumidores. Quanto ao farelo de trigo, o maior volume de produção é consumido pelas cooperativas filiadas em suas indústrias de rações. 


 


 

P1030350
P1030660-2
1
15
20
33
41
122


 

Centro Administrativo

C.N.P.J.: 77.118.131/0001-00
Insc. Est.: 410.04400-54
Tel.: (45)3220-3700
Fax: (45)3224-3838
Rua da Bandeira , nº. 541
Cascavel- Paraná - Brasil
CEP: 85812-270

Terminal Portuário

C.N.P.J.: 77.118.131/0002-83
Insc. Est.: 118.03350-79
Tel.: (41)3420-7800
Fax: (41)3420-7851
Av. Cel. José Lobo, nº. 1464
Paranaguá - Paraná - Brasil
CEP: 83203-340

Moinho de Trigo

C.N.P.J.: 77.118.131/0007-98
Insc. Est.: 414.01857-23
Tel.: (44)3649-7750
Fax: (44)3649-7752
Av. Presidente Kennedy, nº. 3500
Palotina - Paraná - Brasil
CEP: 85950-000

Terminal Ferroviário - Câmara Frigorífica

C.N.P.J.: 77.118.131/0016-89
Insc. Est.: 905.82289-63
Tel.: (45)3333-3000
Rodovia BR 277 - KM 574
Cascavel - Paraná - Brasil
CEP: 85818-560

Terminal Ferroviário - Armazém Graneleiro

C.N.P.J.: 77.118.131/0017-60
Insc. Est.: 906.12134-46
Tel.: (45)3333-3010
Rodovia BR 277 - KM 574
Cascavel - Paraná - Brasil
CEP: 85818-560